Livro feminista: A Origem do Mundo, Liv Strömquist

Por Helô Righetto

Demorou para eu descobrir o mundo dos HQs feministas, mas depois que descobri (graças a uma amiga querida que me presenteou com Persépolis) virei fã, já adquiri e li vários. Esse por coincidência foi recomendação da mesma amiga que me deu o Persépolis, e é o tipo de livro que eu quero dar para todas as minhas amigas. O tipo de livro que gostaria de ter lido quando eu era bem mais nova.

Tenho vergonha de admitir que não faz muito tempo que descobri o que significa vulva. Sei que não estou sozinha nessa, e lendo esse HQ da Liv Strömquist me senti menos estúpida: a verdade é que, quanto menos se fala de alguma coisa, mais pagada ela é. Se nunca falamos da vulva (raramente falamos da vagina), como é que eu ia saber que era esse o nome correto da parte ‘externa’ do meu órgão genital?

A autora aborda o contexto histórico do apagamento da vulva e os diversos absurdos aos quais o corpo da mulher tem sido submetido na história da humanidade. Teorias esdrúxulas, experimentos científicos que beiram a tortura e conclusões (feitas por homens) baseadas em achismos e opressão. A Liv faz um link necessário entre a vulva e o crescimento do patriarcado. Fala de sexualidade, de menstruação, da necessidade de definir o corpo da mulher como algo a ser completo pelo corpo do homem. Tudo isso em quadrinhos, com ilustrações lindas e texto muito didático.

Presenteiem as mulheres das suas vidas com esse livro. Vamos derrotar o patriarcado! Vulvas, uni-vos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *