Manifesto

Nosso ativismo digital se baseia na Conectividade e Participação (que é uma categoria bem desenvolvida no livro Digital Political Radical, de Natalie Fenton) para:

  • …usar os perfis da Conexão Feminista para criar conscientização acerca do Feminismo;
  • …usar esse espaço virtual não apenas para ter nossa voz ouvida, mas também para dar voz e ampliar a espaço para as causas de outras mulheres, principalmente, negras, de periferia e lésbicas;
  • …encorajar a participação de quem nos segue;
  • …buscar alianças com outros grupos e projetos feministas.

E procuramos colocar isso em prática assim:

  • …respirar antes de postar;
  • …refrear nossos impulsos de ter uma opinião imediata sobre tudo;
  • …focar nossos esforços em dialogar com as mulheres e não com os homens;
  • …priorizar a pauta do feminismo interseccional;
  • …evitar o populismo punitivista e o linchamento público, mesmo de agressores;
  • …evitar apontar atos individuais ou os próprios indivíduos e tentar entender que, assim como nós, eles também fazem parte de uma estrutura machista bem complexa e perversa;
  • …partir do pressuposto de que todos nós, em graus diferentes de desconstrução, vivemos em uma sociedade machista, patriarcal que segue a lógica da cultura de estupro e que, portanto nós refletimos isso em alguma medida nos nossos pensamentos e ações, mesmo quando não queremos;
  • …deixar claro que as premissas acima não significam que estamos passando um pano e amenizando a urgência do feminismo, mas que decidimos usar a raiva como motor da razão que nos difere (dizem!) dos demais animais;
  • …reforçar incansavelmente que esse projeto parte do olhar de duas mulheres, brancas, heterossexuais, de classe média que entendem esse lugar de privilégio e, justamente por isso, compreendem a relevância e a prioridade de outros feminismos, como o feminismo negro interseccional;
  • …promover medidas pedagógicas e restaurativas que estimulem uma sociedade feminista de fato.

Esse manifesto não está escrito em pedra, mas é uma declaração pública de como pensamos e procuramos fazer a Conexão Feminista hoje.